• Gastos com funcionários e os custos de um condomínio

    24 de julho de 2018

     

    Os custos com funcionários atingem mais da metade dos gastos condominiais. A Associação das Administradoras de Condomínios estima que o investimento representa 65%, incluídos os encargos trabalhistas.

    Você sabe quais são os principais custos para manter um funcionário próprio em seu edifício? Veja a seguir!

    Remuneração

    A remuneração de um empregado inclui o salário base e outras verbas salariais, pagos pelo condomínio. Dentre essas outras verbas, incluem-se gratificações, adicionais (noturno, insalubridade, periculosidade, hora-extra) e outros.

    O adicional noturno soma 20% no valor sobre a hora diurna. O de periculosidade é de 30% sobre o salário base, e o de insalubridade varia conforme o risco, em 10, 20 ou 40% sobre o salário mínimo.

    Por isso, só de remuneração, os gastos com funcionários podem ser altos, por incluírem vários direitos do trabalhador.

    Férias

    As férias são pagas com o acréscimo de 1/3 sobre a remuneração. Se o empregado ganha R$1.500, o valor devido no mês de férias será R$2.000. Esse acréscimo também é um dos fatores que onera os gastos com funcionários no condomínio.

    13º salário

    Além da remuneração anual, é direito do empregado receber o valor correspondente a uma remuneração, a título de 13º salário, também conhecida como gratificação natalina.

    INSS

    Os empregados são filiados obrigatórios da Previdência Social e recolhem o INSS para obter os benefícios previdenciários. Porém, o empregador (neste caso, o condomínio), também possui a responsabilidade de recolher um valor específico para complementar o INSS.

    A contribuição patronal é de 20% sobre o salário de contribuição (integrado pelas parcelas remuneratórias).

    FGTS

    O condomínio é obrigado a depositar, até o dia 7 de cada mês, em conta bancária vinculada, a importância correspondente a 8% da remuneração paga ou devida, no mês anterior, a cada trabalhador, incluídos a remuneração outras verbas salariais, as gorjetas, o salário in natura e a gratificação de Natal.

    Esse montante forma o conhecido Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, que poderá ser movimentado em situações específicas pelo trabalhador.

    Horas extras aumentam os gastos com funcionários

    Quando o funcionário extrapola sua jornada normal, serão devidas as horas extras, que devem ser remuneradas com o acréscimo de 50% sobre a hora normal. Suponhamos que um empregado, com jornada de 40 horas, tenha trabalhado ao final do mês 12 horas a mais. O valor da hora normal é R$20, então a extra será R$30. Como são 12, o condomínio deverá acrescer em sua remuneração R$360.

    Veja que, com essa diferença, o síndico pode avaliar se não compensaria contratar um freelancer para essas horas. No final do mês, o montante de horas extras pode impactar – e muito – os gastos com funcionários.

    Para ilustrar, vamos tomar como exemplo Adriana, empregada do condomínio que recebe R$1.500. Ela trabalha no período diurno, mas em um ano fez 10 horas no período noturno e 60 horas extras. Considerando que o custo de sua hora diurna é R$7,50, veja os possíveis valores com os encargos trabalhistas e previdenciários:

    • Adicional noturno: hora com valor de R$9,00. No fim do ano, R$11,50 a mais na remuneração.
    • Hora extra: hora com valor de R$11,25. No fim do ano, R$675,00 a mais.
    • 13º salário: R$1.500,00 por ano.
    • Férias: R$500 a mais por ano.
    • INSS: imagine que o salário de contribuição de Adriana é o salário-mínimo (R$937,00). Valor devido pelo condomínio de INSS é de R$187,40 por mês
    • FGTS: R$120,00 por mês

    Quando não há conhecimento sobre tudo que envolve ter um funcionário, o cálculo é simplificado apenas com o valor da remuneração. Seria R$18.000 ao ano. Porém, com todos os encargos, são R$24.375,30.

    O síndico deve procurar maneiras de diminuir os gastos com funcionários, e uma delas é contratar uma empresa terceirizada para fazer o serviço. Todos os encargos são de responsabilidade dela, porém, cabe destacar que, caso não pague seus empregados corretamente, o condomínio pode ser solidariamente responsável.

    Por este motivo, é preciso acompanhar de perto a atuação da empresa para que não haja prejuízos futuros para o edifício.

    E no seu condomínio, como são os gastos com funcionários? Ficou com alguma dúvida sobre as questões levantadas? Conte pra gente pelos comentários e até a próxima.