• Hábitos de funcionários contra a segurança de um condomínio

    22 de maio de 2018

    A segurança de um condomínio é uma das grandes preocupações dos síndicos e dos moradores, não é mesmo? Vemos, diariamente, casos de pessoas mal-intencionadas que tentam se aproveitar de falhas de segurança nos condomínios para obter vantagem de forma indevida – e é preciso estar atento a isso para prevenir essas ações.

    Mesmo com complexos esquemas e protocolos de segurança, muitos condomínios colocam a sua segurança em risco ao não monitorar de perto a ação dos funcionários. Diversas falhas graves podem surgir de hábitos nocivos das pessoas que trabalham diariamente para cuidar da segurança.

    Por isso, no artigo de hoje, listamos os principais hábitos de funcionários que podem prejudicar a segurança de um condomínio. Confira.

    A segurança de um condomínio depende da postura dos funcionários

    Os hábitos de funcionários que prejudicam a segurança de um condomínio podem surgir pela falta de consciência sobre as consequências daquela ação, ou pelo simples relaxamento dos profissionais. Qualquer que seja o motivo, é dever do síndico monitorar a qualidade dos serviços prestados.

    Veja quais são os 6 hábitos que podem estar comprometendo a segurança do seu condomínio.

    1. Não identificar as pessoas dentro dos veículos

    Em grande parte dos condomínios existe um alto fluxo diário de veículos entrando e saindo, certo? Para agilizar esse processo, os porteiros autorizam a entrada dos carros dos moradores de forma automática. Entretanto, é preciso tomar cuidado para identificar se as pessoas dentro do veículo são, mesmo, os condôminos e evitar a entrada de bandidos.

    2. Distração com televisão, rádio ou celular

    Outro hábito que pode ter consequências negativas para a segurança de um condomínio é a distração com televisão, rádio, celular ou outros aparelhos. Quando o profissional responsável pela segurança não está atento a tudo o que está acontecendo ao seu redor, a segurança do condomínio pode ficar comprometida.

    3. Não utilizar o portão de clausura de forma correta

    A clausura é um meio utilizado para permitir a interação entre moradores e entregadores ou visitantes, minimizando os riscos. Porém, para o seu funcionamento pleno, é necessário que um portão só seja aberto quando o outro já estiver fechado. Os funcionários também precisam estar atentos a isso quando forem atender um visitante.

    4. Não questionar as pessoas de fora que entram no prédio

    Entregadores, prestadores de serviço, visitas e outras pessoas transitam diariamente por um condomínio. É dever do funcionário questionar a presença de cada uma delas nas dependências do condomínio – por mais incômoda que seja essa rotina. Caso contrário, indivíduos mal intencionados podem se aproveitar para entrar facilmente no condomínio.

    5. Ausentar-se da portaria para resolver outros problemas

    O funcionário responsável pela portaria pode ter que se ausentar do seu posto para resolver outros problemas do condomínio ou, até mesmo, questões pessoais. Entretanto, esse hábito deixa a portaria do condomínio vulnerável quando não existe outro profissional para tomar o seu lugar.

    6. Desespero em situações de emergência

    É muito difícil manter a tranquilidade nessas situações, certo? Porém, os funcionários responsáveis pela segurança de todos os moradores precisam estar bem treinados para reagir da melhor forma possível em casos de ameaça. Quando isso não acontece, toda a segurança de um condomínio fica vulnerável.

    Terceirização: uma solução viável para os problemas

    Esses hábitos não são incomuns em condomínios espalhados pelo Brasil, porém, você não precisa arriscar a segurança de todos os moradores por conta de atitudes como essas. Quando o profissional é bem treinado e orientado, dificilmente terá hábitos nocivos como esses que acabamos de ver.

    Por essa razão é que a terceirização dos funcionários se torna uma prática tão positiva. A empresa contratada treina os seus funcionários da melhor forma possível e fornece todas as condições para o desenvolvimento de um bom trabalho – garantindo a entrega do que foi contratado: um profissional responsável pela segurança do condomínio.

    Você já precisou lidar com algum desses hábitos que comprometem a segurança de um condomínio? Já considerou a terceirização dos profissionais? Deixe o seu comentário!